Públicos e Personas: peças fundamentais na comunicação da empresa

Públicos e Personas: peças fundamentais na comunicação da empresa

Ao criar qualquer estratégia de marketing, como a do funil de vendas, é necessário ter em mente qual público se deseja atingir, para que as ações sejam bem sucedidas. Para isso, o estudo e mapeamento de públicos e a criação de personas se tornam essenciais para as organizações. Continue lendo e saiba mais.

O início do estudo e mapeamento de públicos

De acordo com estudiosos da comunicação, os públicos surgiram junto com a atuação da imprensa e, antes desta, havia apenas multidões e aglomerados.

Assim, os públicos passaram a ter diferentes classificações, sendo formais, identificáveis e organizados, como, por exemplo, os funcionários de uma empresa, os alunos de uma escola, os fiéis de uma igreja, os membros de um clube, etc. ou dispersos como, por exemplo, as crianças em idade escolas, mulheres de classe média, idosos, etc.

Público interno, externo e misto

No livro Públicos: como identifica-los em uma nova visão estratégica, o autor Fábio França classifica os públicos em interno, externo e misto.

Desse modo, o público interno é formado pelas pessoas que possuem ligações jurídicas e sociais com as empresas, ou seja, seus funcionários.

Já o público externo é formado por pessoas que não possuem vínculos com a empresa, mas têm interesse em suas atividades, como os clientes, fornecedores, membros da comunidade em que a organização está inserida, etc.

O público misto, por sua vez, é aquele que possui ligações sociais e jurídicas com a empresa, mas não vivencia sua rotina, como os familiares dos funcionários e trabalhadores que são terceirizados para trabalhar em outras empresas, por exemplo.

Stakeholders: uma classificação mais detalhada

stakeholders

Também proposta por França, a classificação dos públicos em stakeholders abrange todos os públicos que são de interesse de uma organização.

Ao realizar a classificação dos stakeholders, os públicos são divididos em todos os grupos que, de alguma forma, sejam de interesse da empresa, conforme mostra a figura acima.

Personas: a comunicação cada vez mais pessoal

Com o avanço das redes sociais e das novas tecnologias, ficou mais fácil de as empresas conseguirem que suas mensagens cheguem exatamente nas pessoas desejadas, a partir de posts patrocinados no Facebook, por exemplo. É por isso que apenas separar os públicos em categorias apenas já não basta! É necessário saber exatamente qual é o perfil de cada tipo de pessoa que faz parte de um determinado grupo.

Assim, uma persona é a representação fictícia do seu cliente ideal e sua criação se baseia em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos clientes de uma empresa.

Ao definir uma persona é necessário responder uma série de perguntas, tanto de cunho profissional como pessoal, para que seja possível reunir uma quantidade máxima dos ideais e interesses do cliente ideal. Desse modo, ao desenvolver uma estratégia de marketing ou comunicação, será mais fácil elaborar conteúdos que realmente interessem o público-alvo, fazendo que o material seja mais assertivo.

Conseguiu entender o conceito de público e persona? Viu como eles são importantes para desenvolver qualquer tipo de material de comunicação na sua empresa? Que tal aproveitar o conhecimento adquirido e saber um pouco mais sobre marketing digital?