Confira informações relevantes sobre a hérnia de disco

Confira informações relevantes sobre a hérnia de disco

A hérnia de disco é uma doença ocasionada por conta de lesões que geram muitas dores nas costas e alterações para sensibilidade. Exista uma estimativa de que cerca de 80% das pessoas sofrerão com essa patologia no decorrer de suas vidas e é por isso que se informar sobre o tema é tão relevante.

Para compreender a doença, convém buscarmos o significado da palavra hérnia, que quer dizer projeção ou saída por meio de um orifício ou fissura. Assim, como o disco intervertebral é uma estrutura feita de cartilagem que fica entra as vértebras da coluna, é comum que a hérnia se desenvolva nesses locais.

O disco intervertebral é composto por uma parte central, que recebe o nome de núcleo pulposo ou líquido viscoso, de uma outra parte mais periférica, chamada de anel fibroso e que é composta de tecido cartilaginoso e ainda de uma parte superior, conhecida como placa terminal. Assim sendo, é caracterizada como hérnia de disco, a liberação do líquido pulposo, que ocorre por meio de uma fissura do seu anel fibroso.

Existe ainda a possibilidade de a extrusão do núcleo pulposo provocar uma compressão nas raízes nervosas, o que causa diversos sintomas muito incômodos para os pacientes

No que se refere à localização, cabe destacar que a hérnia de disco pode ocorrer em qualquer área da coluna, porém existem algumas partes que são mais suscetíveis para isso, como a região lombar e cervical.

Como muitas pessoas têm dúvidas sobre a hérnia de disco, desenvolvemos este post, que pretende reunir uma série de informações relevantes sobre essa doença. Nos tópicos a seguir, você entenderá um pouco mais sobre os principais tipos de hérnia de disco, como diagnosticá-la, quais são os seus sintomas, os tratamentos disponíveis, entre outras informações relevantes acerca do assunto.

Por isso, se você quer saber mais sobre a hérnia de disco, não deixe de acompanhar os tópicos a seguir.

Hérnia de disco cervical

Um dos tipos mais comuns da hérnia de disco é a cervical e não são raros os casos de pessoas que precisam abandonar as suas atividades, como o trabalho, por conta das fortes dores causadas pela doença.

A hérnia de disco cervical torna difícil a realização de tarefas práticas do dia a dia como digitar textos no computador, sentar, deitar, dirigir, assistir TV, fazer atividades domésticas, entre outras.

O QUE É?

A hérnia de disco cervical é a projeção do material do disco intervertebral, ou seja, do núcleo pulposo, anteriormente explicado, além do espaço destinado para isso.

Tal deformidade pode ser identificada por meio de exames de diagnóstico por imagem, como a ressonância magnética. Porém, nem sempre os resultados encontrados nos exames são acompanhados de sintomas no paciente.

De acordo com estudos recentes, cerca de 60% das hérnias de disco identificados nos exames solicitados pelos médicos são assintomáticas, ou seja, não há uma correlação entre as imagens e as sensações sentidas pelo paciente que tem o problema.

É comum que o paciente tenha lesões graves na região cervical e não sentir nada além de dores ou formigamentos no local. Por esse motivo, uma consulta médica é sempre o mais indicado para identificar e fazer o correto diagnóstico da hérnia de disco.

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA HÉRNIA DE DISCO?

Já explicamos anteriormente que os discos intervertebrais tem um formato de anel e se encontram entre as vértebras da coluna, formando assim a coluna espinhal ou espinha. Esses discos têm o objetivo de evitar atritos entre as vértebras, possibilitando que elas se movimentem normalmente.

A causa da hérnia de disco, portanto, ocorre quando há um desgaste entre esses discos, causando uma ruptura ou fraqueza do anel, de modo que ele se desloque de sua posição normal e comprima raízes nervosas. Essa compressão é a responsável pela dor causada no local.

O desgaste ou ruptura do anel que contém o disco podem ocorrer por motivos como:

  • Desgaste natural por conta da passagem de tempo: o que justifica o fato de pessoas mais velhas serem mais suscetíveis de adquirir a hérnia de disco;
  • Genética: fatores genéticos passados de pais para filhos também podem interferir para uma maior possibilidade de ocorrência da hérnia de disco;
  • Forçamento dos músculos das costas: forçar muito os músculos das costas, para erguer peso, por exemplo, também pode desencadear esse problema. É por isso que muitas pessoas que desempenham atividades que envolvam a força em seus trabalhos, como os pedreiros ou operários de obras, costumeiramente desenvolvem a hérnia de disco;
  • Acidentes: acidentes de trânsito ou até mesmo quedas que gerem pancadas também são fatores que podem fazer com que a hérnia de disco se desencadeie, embora essa causa seja menos comum do que as demais.

QUAIS SÃO OS TIPOS DA HÉRNIA DE DISCO?

Além da hérnia de disco cervical, que foi mencionada anteriormente, existem também outros tipos da hérnia de disco: a lombar e a torácica. A seguir, falaremos sobre eles, bem como reforçaremos o conceito da hérnica cervical.

CERVICAL

A hérnia de disco cervical é caracteriza principalmente pelas dores no pescoço e, conforme anteriormente citado, ocorrem quando há o deslocamento de parte do disco intervertebral que protege uma vértebra da outra, para que não ocorra atrito.

É importante destacar que a coluna cervical é formada por sete vértebras, representadas pela letra C e um número: C1, C2, C3, C4, C5, C6, e C7. Assim sendo, é mais comum que a hérnia de disco se apresente entre as vértebras C6 e C7.

Apesar disso, os sintomas são sempre os mesmos, independentemente das vértebras em que a hérnia de disco estiver presente.

LOMBAR

A hérnia de disco lombar acomete toda a região lombar, bem como o quadril e as coxas. As dores podem ainda serem irradiadas para a panturrilha e o tornozelo, dando origem à chamada dor ciática.

Geralmente, as pessoas que tem hérnia de disco lombar tem dificuldades para realizar tarefas em que precisam andar e flexionar a coluna. Também é comum sentir fortes dores ao carregar peso e espirrar.

A dor lombar também pode fazer com que o paciente tente adequar a sua postura para uma posição em que não sinta tanto incômodo, mas essa pode ser inadequada e só piorar a situação em longo prazo. Por isso, a deformidade postural também pode indicar a ocorrência de hérnia de disco lombar.

TORÁCICA

Também é possível que a hérnia de disco ocorra na região torácica. Nesse caso, há uma dor forte nesse local, que também pode ser irradiada para as costelas.

Outra característica da hérnia de disco torácica é a perda de força nas pernas, com a pessoa acometida sentindo muitas dores ao subir escadas, por exemplo.

DEMAIS CLASSIFICAÇÕES

Além desses três tipos básicos da hérnia de disco, todos eles ainda podem se subdividir em três classificações: protusas, extrusas e sequestradas. Compreenda cada uma delas:

  • Protusas: esse tipo de hérnia ocorre quando a implantação vazada sobre o disco é mais larga que os demais diâmetros;
  • Extrusas: ao contrário da anterior, esse tipo de hérnia é menos que os diâmetros dos discos. Além disso, ela também pode indicar a perda do contato do fragmento com o disco;
  • Sequestradas: esse nome é dado para os fragmentos que migram de um canal para outro, como de baixo para cima ou de um lado para o outro.

QUAIS SÃO OS DIAGNÓSTICOS PARA A HÉRNIA DE DISCO?

O diagnóstico para hérnia de disco começa na própria casa do paciente, que precisa observar as dores que sente e, se elas se intensificarem, buscar auxílio médico. Por meio de exames físicos práticos e observação dos sintomas, o médico poderá levantar a suspeita de que o quadro se trata de uma hérnia de disco.

QUE EXAMES PODEM SER FEITOS PARA IDENTIFICAR A HÉRNIA DE DISCO?

Assim, alguns exames poderão ser solicitados, como a ressonância magnética e a tomografia computadorizada. Somente por meio desses métodos é possível identificar a presença ou não de uma hérnia de disco, bem como as suas características;

O médico avaliará o local exato da hérnia, a sua espessura, qual é o seu tipo, entre outras informações que são úteis para que seja aplicado o tratamento adequado.

O raio X, embora não demonstre claramente a hérnia, também pode ser solicitado pelo médico. Isso porque ele pode ser útil para que seja identificada o alinhamento da coluna e a integridade ou destruição das vértebras.

É comum, portanto, que o médico solicite inicialmente o raio X e, se esse tiver alterações, pede que outros sejam feitos para confirmar o diagnóstico.

Hérnia de disco – sintomas

A hérnia de disco faz com que o paciente desenvolva uma série de sintomas bem característicos, que vão além das dores nos locais. Entre elas, se destaca a má postura. Falaremos sobre esse e outros sintomas que podem indicar que você está com hérnia de disco.

MÁ POSTURA

A má postura pode não ser apontada apenas como uma causa, mas também como sintoma da hérnia de disco. Isso porque, as pessoas que sentem dores na coluna podem adaptar as posições que realizam as suas atividades para amenizar a dor.

Para que você não erre a postura e acabe prejudicando ainda mais a sua saúde, listamos uma série de dicas para você amenizar as dores da hérnia de disco, ao dormir, ao sentar e ao trabalhar. Veja, a seguir.

AO DORMIR

Uma pessoa com problemas de hérnia de disco precisa tomar uma série de cuidados ao dormir. O colchão, por exemplo, precisa ser de espuma ou semi-rígido, para que o peso do corpo seja bem distribuído. O travesseiro também deve ter a mesma rigidez.

Ainda sobre os travesseiros, ao dormir de barriga pra cima, convém colocar uma unidade embaixo das pernas. Já quem dorme de lado pode colocar o travesseiro entre as pernas, que precisam permanecer dobradas.

Não se recomenda que se durma de bruços, pois essa posição não é adequada para a coluna.

AO SENTAR

Para manter a boa postura, também é indicado que se adote uma boa postura ao sentar. É preciso manter os pés sempre apoiados no chão e com as coxas sempre ocupando a maior parte da cadeira ou sofá.

Cruzar as pernas não é uma postura adequada para permanecer sentado, pois essa postura faz com que a coluna fique desalinhada, o que pode piorar os casos de hérnia de disco.

AO TRABALHAR

No ambiente de trabalho, também é importante adotar posturas menos prejudiciais para quem sofre com a hérnia de disco. Quem trabalha sentado, por exemplo, deve manter os antebraços apoiados na mesa de trabalho.

Escolher uma cadeira confortável e adequada também é importante. Outra dica importante é manter o computador sempre na altura dos olhos, para evitar ter que erguer ou abaixar a cabeça para visualizar a tela, por exemplo.

OUTROS FATORES QUE SÃO SINTOMAS DA HÉRNIA DE DISCO

Além da má postura para corrigir dores, existem outros sintomas que podem indicar a ocorrência da hérnia de disco. Na sequência, vamos falar brevemente sobre cada um deles.

SINTOMAS DA HÉRNIA DE DISCO NA REGIÃO LOMBAR

  • Dor aguda nas pernas, quadril e nádegas;
  • Dormência em diversas partes do corpo;
  • Dormência ou dor na parte posterior da panturrilha ou nas plantas dos pés;
  • Fraqueza nas pernas.

SINTOMAS DA HÉRNIA DE DISCO CERVICAL

  • Dor ao movimentar o pescoço;
  • Dor muito profunda próxima à escápula ou ainda sobre ela;
  • Dor nos braços, antebraços e até mesmo nos dedos;
  • Presença de dormência nos ombros, antebraços, cotovelos e dedos.

Hérnia de disco tem cura?

Sim, existe cura para a hérnia de disco. As pessoas acometidas por essa doença precisam compreender, no entanto, que podem melhorar da dor, mas infelizmente ela pode retornar em ocasiões futuras.

É por isso que é preciso que os tratamentos e o acompanhamento médico seja feito de forma frequente, ou seja, mesmo após a dor passar, eles não devem ser suspensos.

Hérnia de disco na gravidez

É bastante comum que as mulheres grávidas desenvolvam a hérnia de disco durante a gestação. Isso porque, com o avançar da gravidez, há um aumento muito grande do peso abdominal. Por isso, é possível o deslocamento do eixo de equilíbrio e uma maior curvatura lombar.

Para evitar desenvolver uma hérnia de disco durante a gravidez, as gestantes devem evitar carregar peso, adotar medidas protetivas como ter uma boa postura, fazer atividades físicas leves como a aeróbica e o pilates etc.

Hérnia de disco – tratamentos

Existem diversos tipos de tratamento para hérnia de disco, sendo que alguns são caseiros e outros devem ser feitos em clínicas especializadas. Consulte o seu médico para saber qual é o mais indicado para o seu caso.

Conheça, a seguir, uma série de tratamentos para a hérnia de disco, que você pode colocar em prática.

FISIOTERAPIA MANUAL

A fisioterapia é uma boa alternativa para aliviar as dores da hérnia de disco. Isso se justifica porque o tratamento fisioterápico pode aumentar a mobilidade dos tecidos móveis e os espasmos musculares.

Uma das técnicas da fisioterapia que podem ser aplicadas é a osteopatia. Para saber mais sobre essa técnica e outras que contribuem para a diminuição das dores da hérnia de disco, convém consultar com um bom fisioterapeuta, que avaliará o seu caso e proporá o tratamento mais adequado.

MESA DE TRAÇÃO ELETRÔNICA

Oriunda dos Estados Unidos, as mesas de tração eletrônica são cada vez mais populares para o tratamento da hérnia de disco. São muitos os estudos que dizem que esse método é bastante eficaz para o combate às dores.

O tratamento com mesas de tração é encontrado em clínicas especializadas. No Brasil, o tratamento ainda é pouco comum e algumas das grandes capitais apenas possuem os equipamentos.

MESA DE DESCOMPRESSÃO DINÂMICA

Os fisioterapeutas também podem fazer tratamentos com a mesa de descompressão dinâmica. Trata-se de um equipamento que possibilita que o profissional tenha total controle sobre a mobilidade da coluna do paciente que está sendo tratado.

A mesa permite que sejam feitos movimentos de extensão, flexão, látero-flexão e rotação.

ESTABILIZAÇÃO VERTEBRAL

Desenvolvida na Austrália, a técnica da estabilização vertebral é utilizada no primeiro mês do tratamento da hérnia de disco.

O objetivo desse tipo de tratamento é fortalecer os músculos profundos da coluna vertebral, melhorando assim o seu grau de estabilidade. Um equipamento chamado de Stabilizer é utilizado para fazer essa estabilização.

MUSCULAÇÃO

A musculação também é importante para melhorar as dores da hérnia de disco. Esse treino é preciso para fortalecer a musculatura e garantir a integridade das estruturas músculo-esqueléticas.

O objetivo do treino, que precisa ser supervisionado por um professor de educação física, é manter uma boa aptidão física e assim prevenir que novas dores surjam, por conta desse problema.

PILATES

O pilates tem ganhado força no combate contra às dores da hérnia de disco. Trata-se de um método que tem o objetivo de melhorar a postura, por meio da concentração, da flexibilidade, da consciência corporal e do equilíbrio e força muscular.

Geralmente, a prática do pilates é ministrada por fisioterapeutas, mas educadores físicos também podem fazê-los. Fora esses profissionais, nenhum outro é habilitado para aplicar a técnica. Por isso, atente-se e evite fazer tratamentos com pessoas desqualificadas.

TRATAMENTO COM LUZ DE LED LLLT

A radiação de Luz de LED LLLT é um tratamento muito relevante e cada vez mais utilizado para combater a dor causada pela hérnia de disco. Para isso, é preciso adquirir um equipamento para fazer o tratamento caseiro.

Nossos tecidos possuem, em suas mitocôndrias, um cromóforo chamado de citocromo C oxidase. Ele é responsável por absorver a luz de LED do equipamento e transformá-la em ATP, a principal fonte de energia em nossas células.

Esse tratamento, também conhecido como fotobiomodulação possibilita o aumento do aporte de nutrientes e de oxigênio para as células irradiadas, aliviando as dores causadas pela hérnia de disco.

Hérnia de disco – cirurgia

Apenas os casos mais graves da hérnia de disco podem ser tratados por meio da cirurgia, pois ela oferece uma série de riscos como a limitação da movimentação da coluna, bem como as infecções.

Existem dois tipos de cirurgia de hérnia de disco, a tradicional e a minimamente invasiva:

  • Cirurgia tradicional: é feita por meio da abertura da pele, com um corte que chega até a coluna. Parte ou todo o disco intervertebral é retirado e um material artificial é utilizado para unir duas vértebras, substituindo a removida. Essa cirurgia necessita de anestesia geral para ser realizada;
  • Cirurgia minimamente invasiva: essa cirurgia é feita por meio de um pequeno corte na pele, pelo qual é inserido um aparelho de radiofrequência ou laser que remove a hérnia de disco. Ao contrário da tradicional, essa cirurgia pode ser feita apenas com uma anestesia local.

PARA QUEM É INDICADA A CIRURGIA?

Conforme dito, somente os casos graves e em que não houve melhora por outros meios precisa de cirurgia. Em números, isso equivale a cerca de 10% dos pacientes com esse tipo de problema, apenas.

Todas as pessoas que ainda não se submeteram a outros tipos de tratamento para hérnia de disco, não devem fazer a cirurgia.

A CIRURGIA GARANTE A CURA DA HÉRNIA DE DISCO?

A cirurgia pode até curar a hérnia de disco, pois ela é totalmente removida. Porém, isso não significa que novas hérnias não possam se desenvolver em outras vértebras.

Caso de 90% dos casos da hérnia podem ser curados, sem que se tenha a necessidade de fazer um tratamento tão invasivo como é a cirurgia.

Se você leu todo o nosso artigo especial até aqui, deve ter adquirido muita informação sobre a hérnia de disco. Portanto, se você pensa que tem esse problema, procure um médico e faça o tratamento adequado.

Leia esse artigo e saiba tudo sobre os remédios que tratam a dor.

Disponível em: http://cosmedical.com.br/blog/cosmedical/sportllux/hernia-de-disco/